Coloque seu celular no modo retrato

São muitos benefícios em ser assinante! Cadastre-se, Deguste sua Edição GRÁTIS e Assine!

Parceiros Medicina preventiva e o controle de doenças crônicas não transmissíveis

Livro aborda incidência das doenças crônicas, soluções e políticas públicas que podem reverter o número atual de casos.

Vanessa Pirolo | 25/03/2020

Medicina preventiva e o controle de doenças crônicas não transmissíveis

Dados alarmantes apontam que a saúde do brasileiro não caminha bem. As doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs) causam 41 milhões de mortes por ano no mundo, o que equivale a 70% de todos os falecimentos. No evento 5º Fórum DCNTs, realizado em São Paulo, no dia 23 de outubro, Eduardo Marques Macário, diretor do Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças Não Transmissíveis, destacou que as DCNTs são responsáveis por seis em cada dez mortes no planeta, afetando de forma importante os sistemas de saúde.

Pesquisa publicada pelo Ministério da Saúde em agosto de 2018 revelou que, em 2016, doenças cardiovasculares, câncer, diabetes e doenças respiratórias crônicas foram responsáveis por 421 mortes a cada 100 mil habitantes.  E o que mais surpreende, segundo Macário, é que as DCNTs são evitáveis e preveníveis com mudanças de hábito para combater os quatro principais fatores de risco: inatividade física e sedentarismo, alimentação inadequada, tabagismo e consumo nocivo de álcool.

Partindo da premissa de que evitar o adoecer é muito mais significativo e mais barato do que tratar a doença, escrevi, em parceria com a cirurgiã-dentista Eliana Pirolo, especialista em homeopatia pela Associação Paulista de Homeopatia e em Saúde da Mulher no Climatério pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, além de mestre e doutora em ciências pelo Departamento de Ginecologia da Universidade Federal de São Paulo, o livro Doenças Crônicas – Saiba como Prevenir, que inclui detalhes sobre os dados da prevalência das doenças crônicas no país, com foco em diabetes, hipertensão arterial, obesidade, doenças cardiovasculares e respiratórias.

 

Obra e capítulos

Na obra, explicamos os motivos de o país estar com tanta incidência das doenças crônicas e boa parte das soluções, além de enumerar a implementação das políticas públicas, que ajudarão a reverter este cenário. Abordamos também informações sobre medicina preventiva às mulheres que pretendem engravidar, englobando exames, vacinas, alimentação e atividade física para que o organismo fique saudável, livre de qualquer infecção que possa prejudicar futuramente o bebê.

Para os papais e mamães que já possuem um ou mais filhos, o livro oferece conhecimento sobre estilo de vida mais saudáveis, que incluem alimentação e prática de exercícios físicos, que evitam as doenças crônicas.

No último capítulo, há uma lista de políticas pública, que foram publicadas para sensibilizar as autoridades do país, que inclui: criação de um programa de educação em diabetes tanto para profissionais de saúde como para pessoas com a condição, implantação de um programa de alimentação saudável nas escolas, sobretaxar os alimentos ultra processados, disponibilizar para a população com doenças crônicas atendimento multidisciplinar…

Temos certeza de que com a implementação da mudança de estilo de vida das pessoas e das políticas públicas, teremos uma população mais saudável e mais feliz, com diminuição da prevalência das doenças crônicas, e com redução de gastos do nosso sistema de saúde.

Com a população envolvida para o bem comum, este livro tem o propósito de ser uma ferramenta de transformação para uma sociedade mais saudável, justa e que traga mais qualidade de vida a todos os cidadãos abertos ao conhecimento e às mudanças sugeridas e que deixe um legado, inspirando cada leitor a valorizar a saúde como o maior patrimônio do Planeta.

Disponível nas livrarias Cultura, Martins Fontes, Saraiva, Livraria da Vila e na Amazon.

 

Por Vanessa Pirolo, jornalista, coordenadora de Advocacy da ADJ Diabetes Brasil e assessora de imprensa de saúde. Tem diabetes tipo 1 desde 2000.

Artigo publicado na edição nº20 da Revista Momento Diabetes. Clique aqui para adquiri-la na versão digital 

Compartilhe