fbpx

Coloque seu celular no modo retrato

São muitos benefícios em ser assinante! Cadastre-se, Deguste sua Edição GRÁTIS e Assine!

Tratamento Educação nutricional é a chave para se prevenir e também para viver com diabetes

O médico Paulo Benício reforça a importância de uma rotina saudável para evitar a doença, que em 2021 causou a morte de 6,7 milhões de pessoas em […]

Redação | 22/11/2021

O médico Paulo Benício reforça a importância de uma rotina saudável para evitar a doença, que em 2021 causou a morte de 6,7 milhões de pessoas em todo o mundo

A divulgação dos dados preliminares da 10ª edição do Atlas do Diabetes, no último dia 05, pela Federação Internacional de Diabetes (IDF, na sigla em inglês) mostrou que a doença atinge números alarmantes em todo o mundo. Só em 2021, 6,7 milhões de pessoas morreram em decorrência do diabetes e a previsão é de que 784 milhões de pessoas tenham a doença em 2045.

Apesar de estar ligada a questões genéticas e ao uso de determinados medicamentos, para o médico Paulo Benício, clínico geral do Hospital Adventista Silvestre, no Cosme Velho, Rio de Janeiro, o sedentarismo e hábitos alimentares desregrados são os principais desafios para evitar a doença.

“Pessoas que não praticam exercícios físicos e que têm uma alimentação rica em açúcares e gorduras e ingerem em excesso alimentos industrializados e de origem animal estão mais vulneráveis a desenvolver diabetes”, explica. E manter um estilo de vida saudável se tornou ainda mais difícil durante a pandemia de Covid-19.

“As pessoas permaneceram mais tempo em casa durante a pandemia e a tendência foi que houvesse uma diminuição da prática de atividades físicas, escolhas alimentares equivocadas, menor exposição ao sol, alterações na rotina de sono, diversos fatores envolvidos no controle e na prevenção do diabetes”, explicou Paulo Benício, que destacou também que a falta de acompanhamento médico favorece o descontrole da doença.

Os dados mais recentes do Atlas do Diabetes mostram que houve um aumento de 16% no número de pessoas com a doença em todo o mundo em comparação a 2019. A edição deste ano mostra que atualmente são 537 milhões de pessoas entre 20 e 79 anos convivendo com o diabetes. Para o médico do Hospital Silvestre, estabelecer hábitos mais saudáveis, ter comprometimento com o tratamento médico, apoio familiar, que deve participar das mudanças dietéticas, e acesso à informação são os pilares para lidar com o diabetes.

“O Governo precisa investir em campanhas de prevenção e informação. Sabemos que mudar a rotina e os hábitos alimentares não é algo simples e envolve preconceitos, questões familiares, sociais e culturais. Investir em educação nutricional é o segredo para melhorar a adesão da população a práticas mais saudáveis e ao tratamento do diabetes”, enfatiza Paulo Benício.

Fonte: Assessoria de imprensa do Hospital Adventista Silvestre

Compartilhe