Coloque seu celular no modo retrato

São muitos benefícios em ser assinante! Cadastre-se, Deguste sua Edição GRÁTIS e Assine!

Notícias SBD chancela consenso de tempo no alvo para controle do diabetes

As recomendações a respeito da porcentagem do Tempo No Alvo foram discutidas e aprovadas, o conceito de Time in range (TIR) vai mudar avaliação do diabetes.

Sarah Almeida | 29/08/2019

SBD chancela consenso de tempo no alvo para controle do diabetes

A Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) agora faz parte das entidades científicas internacionais que aprovam a aplicação das recomendações do Consenso sobre o Tempo no Alvo para pessoas com diabetes que utilizam o monitoramento contínuo de glicose, estabelecidas preliminarmente em Berlim durante o Congresso de Tecnologias Avançadas no Tratamento para Diabetes (ATTD) realizado em fevereiro deste ano.

As recomendações a respeito da porcentagem do Tempo No Alvo foram discutidas e aprovadas por diversas instituições, entre elas Associação Americana de Diabetes (ADA), Associação Americana de Endocrinologistas Clínicos (AACE) e Sociedade Internacional de Pediatria e Adolescente Diabetes (ISPAD).

Além disso, a SBD também considera importante o tema sobre a utilização do Tempo No Alvo como ferramenta complementar de monitorização do controle glicêmico, além da HbA1c, no tratamento da pessoa com diabetes. O tema, inclusive, será incluído nas novas Diretrizes da SBD 2019-2020, que tem lançamento previsto para o XXII Congresso da SBD, em Natal, entre os dias 16 e18 de outubro deste ano.

Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes, o fato representa um novo momento no controle da glicose, e o Tempo no Alvo é entendido como uma modalidade motivadora dos pacientes para que exista maior aderência na busca do controle efetivo da glicose, à medida que se torne mais acessível a pessoas com diabetes tipo 1 (DM1) e tipo 2 (DM2), que necessitem de um controle mais rigoroso e frequente.

No site da Sociedade Brasileira de Diabetes,  você confere os indicadores de um bom controle glicêmico. (Clique aqui).

Fonte: Sociedade Brasileira de Diabetes www.diabetes.org.br

 

 

Compartilhe