fbpx

Coloque seu celular no modo retrato

São muitos benefícios em ser assinante! Cadastre-se, Deguste sua Edição GRÁTIS e Assine!

Notícias Projeto Glica Melito ensina diabetes tipo 1 por meio de cursos e vídeos educativos

Material é ofertado de maneira gratuita em plataforma digital e traz novo olhar para o diabetes na atenção básica; objetivo é apoiar a implementação do Protocolo Clínico na rede pública de saúde.

Redação | 23/07/2019

Projeto Glica Melito ensina diabetes tipo 1 por meio de cursos e vídeos educativos

Glica é uma jovem muito animada que foi diagnosticada com diabetes mellitus tipo 1 e virou protagonista da web série Glica Melito, um projeto inédito, recém-lançado, que visa capacitar, por meio de vídeos e cursos educativos, equipes de saúde no Brasil todo para tratar pessoas com diabetes tipo 1  usando as tecnologias e medicamentos disponibilizados no Sistema Único de Saúde (SUS).

O projeto é fruto da parceria entre o Conselho Nacional de Secretarias municipais de Saúde (CONASEMS), a empresa Novo Nordisk e o Instituto de Pesquisa e Apoio ao Desenvolvimento Social (IPADS) e foi lançado recentemente na capital paulista.

De acordo com Alice Bricola, doutora em farmacologia e uma das representantes do projeto, que o apresentou durante o 2º Workshop para Jornalistas, o principal objetivo do programa Glica Melito é dar suporte às pessoas atendidas pelo SUS, encurtando o processo de chegada da medicação ao paciente, além de alcançar desde os médicos até os agentes de saúde.

“O Glica Melito conta com uma estrutura pedagógica e linguajar acessível, saindo do padrão técnico para abordar questões de autoestima e autocuidado, insulinas e dispositivos de aplicação, alimentação saudável e atividades físicas enquanto aliada no controle do diabetes tipo 1”, afirmou Alice. “Finalmente entendi que, mesmo com diabetes tipo 1, eu podia ter uma vida superboa”, diz a protagonista Glica já no primeiro episódio da web série.

 

São cinco vídeos de 10 minutos cada sobre os seguintes temas:

 

Episódio 1: DM1 e o meu estilo “Glica” de ser 

Episódio 2: Insulina e o SUS: Conhecendo o DM1

Episódio 3: Insulinas e suas aplicações

Episódio 4: A importância dos alimentos para a saúde

Episódio 5: Atividade física como aliada no controle do diabetes tipo 1.

 

CLIQUE AQUI para acessar o canal no Youtube e inscreva-se.

 

 

Curso à distância

Além dos vídeos, o projeto Glica Melito irá disponibilizar três cursos na modalidade de ensino à distância para aprimoramento dos profissionais de saúde do SUS. Eles são direcionados à equipe médica e a profissionais de saúde de nível superior e médio, com carga horário entre 10 e 15 horas. “Dessa forma, atuamos em duas frentes importantes e diretamente envolvidas no cenário do diabetes: os profissionais e os pacientes. Além disso, é importante buscar informações que contribuam para a tomada de decisão dos gestores em relação aos fluxos estabelecidos para o aprimoramento no acesso e adequada utilização das tecnologias incorporadas ao SUS no conjunto dos municípios brasileiros”, explica Orlando Soeiro, presidente do IPADS.

O projeto Glica Melito dialoga ainda com o novo Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) – Diabetes Mellitus tipo 12. O documento foi aprovado em 2018 pelo Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Atenção à Saúde e da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, e estabelece critérios de diagnóstico e tratamento, além de mecanismos de regulação em nível nacional, servindo como norte para Secretarias de Saúde dos estados, do Distrito Federal e dos municípios na regulação do acesso assistencial, autorização, registro e ressarcimento dos procedimentos correspondentes.

No entanto, para que o Protocolo se efetive na prática e apoie o cuidado de pessoas com diabetes mellitus tipo 1 no Sistema Único de Saúde (SUS), é necessária a sua utilização pelos profissionais da saúde, além de apoiar os municípios no processo de regulação.

“O PCDT certamente é um passo importante para as pessoas com diabetes, mas também um grande desafio para os municípios, que precisam buscar meios de garantir que essa população tenha acesso às tecnologias incorporadas no SUS”, comenta Mauro Junqueira, presidente do Conasems.

O mesmo documento também ressalta a importância da educação de pacientes e familiares para o autocuidado, passando por esferas como: alimentação saudável, contagem de carboidratos, prática de exercícios físicos, identificação e tratamento da hipoglicemia, administração de insulina, insulinoterapia intensiva e automonitorização da glicemia capilar.

Compartilhe