Coloque seu celular no modo retrato

São muitos benefícios em ser assinante! Cadastre-se, Deguste sua Edição GRÁTIS e Assine!

Alimentação Sete sementes poderosas para controlar o diabetes

Conhecidas pelas fibras alimentares, que são fundamentais para auxiliar no equilibro da flora intestinal, as sementes ajudam a eliminar gorduras e até mesmo a desobstruir artérias, chamadas de fibras insolúveis.

Letícia Martins | 26/07/2019

Muitas pessoas não sabem, mas as sementes podem ter um papel importantíssimo na alimentação de quem tem diabetes. As sementes são ricas em fibras solúveis, que auxiliam no controle da glicose sanguínea, retardam a absorção do carboidrato (nutriente que se transforma em açúcar no organismo) e desta forma, evitam picos de glicemia.

A nutricionista e educadora em diabetes Deise Santigo afirma: “As sementes ajudam na perda ou manutenção do peso exatamente por regular o organismo”.

E apesar de diversos alimentos serem fontes dessas fibras, por exemplo, frutas, legumes, alimentos integrais e hortaliças, nós da Momento Diabetes listamos 8 sementes ricas em fibras e em outros nutrientes que podem ser reforçadas na sua alimentação.

 

1) Linhaça

Existem dois tipos de linhaça (a marrom e a dourada), mas a diferença nutricional entre elas é pequena. Ambas possuem vitamina E, antioxidante que previne o envelhecimento precoce, além de ômegas 3 e 6, consideradas as gorduras do bem, que auxiliam no combate do mau colesterol (LDL).

Elas podem ser consumidas na versão farinha, óleo, ou no formato original, a própria semente. Além disso, podem ser colocadas em preparações fáceis como em vitaminas, sucos, sopas, iogurtes, pães, tortas e bolos.

2) Chia

Sendo conhecida por ser uma boa fonte de cálcio, a chia é uma excelente opção para aqueles que apresentam osteopenia, osteoporose e obesidade.

Ela é fonte de ômega 3, ajuda a evitar doenças do coração e diminui a pressão arterial, além de ser rica em diversos minerais, vitamina A e antioxidantes, que ajudam a relaxar. Pode ser consumida crua, triturada, em forma de gel ou de óleo.

3) Quinoa

Esta semente possui todos os aminoácidos que nosso organismo precisa, inclusive aqueles que não fabricamos naturalmente. Contém diversas vitaminas e minerais, pouca gordura e possui fitoestrógenos, que auxiliam na TPM e na menopausa.

4) Aveia

Pode ser uma ótima aliada no combate ao colesterol alto, pois suas fibras são solúveis em água e se transformam em um gel que faz com que as gorduras não se depositem nas artérias, ajudando a baixar os níveis de colesterol ruim.

Ela é uma das sementes que também dão uma forcinha no controle glicêmico, retardando a ação do carboidrato no organismo.

5) Sementes de girassol

Apesar de ter propriedades semelhantes a chia e a linhaça, as sementes de girassol se diferencia no valor e costuma ser mais acessível à população.

Ela possui antioxidante e minerais, como o selénio, que auxiliam na proteção das células contra os radicais livres, evitando assim o envelhecimento precoce dos tecidos.

6) Gergelim

Conhecidas por um alto teor de fibras, regulando o trânsito intestinal, evitando e tratando a prisão de ventre.

As sementes de gergelim são ricas em cálcio, fósforo, ferro e vitaminas do complexo B, o que contribui para melhorar a elasticidade da pele e evitar a queda de cabelo e tem como melhor forma de consumo sua versão original, crua e com casca.

7) Semente de abóbora

Fonte de zinco e gordura insaturada (boa), promove a redução do colesterol ruim e melhora a saúde cardiovascular, além de conter ferro e vitaminas E e C, o que lhes confere propriedades antioxidantes.

Pode ser consumida torrada, mas apresentar mais benefícios quando é ingerida em sua forma crua.

 

Vale lembrar que o ideal é introduzir as fibras alimentares na dieta de forma gradativa, para evitar a sensação de inchaço ou dores provocadas por gases, e hidratar-se com água, para evitar constipação.

 

Texto adaptado por Sarah Almeida

Compartilhe