fbpx

Coloque seu celular no modo retrato

São muitos benefícios em ser assinante! Cadastre-se, Deguste sua Edição GRÁTIS e Assine!

Parceiros Pesquisa aponta que 61% das pessoas com diabetes ou cuidadores vão se vacinar contra Covid-19

Pesquisa realizada pela ADJ Diabetes Brasil mostra que 47% das pessoas com diabetes tipo 2 não se recordavam de quando o médico comentou sobre a importância da […]

Vanessa Pirolo | 11/05/2021

Pesquisa realizada pela ADJ Diabetes Brasil mostra que 47% das pessoas com diabetes tipo 2 não se recordavam de quando o médico comentou sobre a importância da vacinação e 85,74% não sabem da existência de um calendário de vacinação para este público.

A ADJ Diabetes Brasil, que representa 35 associações de diabetes junto ao Governo Federal, realizou uma pesquisa online com 2.027 pessoas, entre elas com diabetes, pais e mães de crianças com a condição e cuidadores sobre vacinação.

O levantamento demonstrou que 61% disseram afirmaram que vão se vacinar contra a Covid-19, 17,61% falaram que dependem do tipo da vacina, 16,07% não sabem e somente 5,32% relataram que não tem a intenção de tomar a vacina.

Estes dados chamaram a atenção, pois o diabetes é caracterizado por um grupo de distúrbios metabólicos, que apresentam em comum a hiperglicemia, aumento da taxa de açúcar no sangue. Este quadro leva à maior suscetibilidade da pessoa com diabetes a desenvolver infecções devido à alteração na resposta imunológica.

Dessa forma, deve-se promover a imunização de crianças e adultos com a condição como forma de estratégia de proteção à saúde, já que auxilia na prevenção de complicações do diabetes.

Este cenário é exemplificado inclusive com o estudo COVID-19 Severity Is Tripled in the Diabetes Community: A Prospective Analysis of the Pandemic’s Impact in Type 1 and Type 2 Diabetes, publicado na Revista Diabetes Care, que demonstra que as pessoas com diabetes, são mais propensas a complicações graves da COVID-19. Estes indivíduos apresentam risco de doença grave e hospitalização três a quatro vezes maior, quando comparados à população geral.

Nele, algumas características clínicas associadamente a níveis de glicemia consistentemente elevados foram significativamente associadas à gravidade da COVID-19, tais como obesidade, doença cardíaca, renal ou pulmonar.

Dados além da Covid-19

O levantamento também constatou dados impactantes sobre vacinação em geral em pessoas com diabetes. 85,74% dos participantes da pesquisa desconhecem que há um calendário de vacinação específico para este público47% das pessoas com diabetes tipo 2 não se recordavam de quando o médico comentou sobre a importância da vacinação, nas consultas, e 9% disseram categoricamente que o médico não fala sobre o assunto durante o atendimento.

Já 62% de pessoas com diabetes tipo 1 disseram que o profissional recomenda durante a consulta. Quando se realiza uma análise mais detalhada, especificamente no grupo de pais e mães de crianças com diabetes tipo 1, 73,8%  disseram que o médico recomenda durante a consulta.

“Com estes dados, pode-se concluir que principalmente o médico com especialidade em pediatria é o profissional que mais indica a vacinação e há uma negligência por boa parte de outras especialidades médicas em falar sobre a importância da vacinação na consulta”, pontua Vanessa Pirolo, coordenadora de advocacy da ADJ Diabetes Brasil e uma das autoras da pesquisa.

Quando perguntamos sobre a vacinação durante a pandemia, devido ao receio da contaminação do Coronavírus, somente 9% dos participantes deixaram de tomar as vacinas, 68,27% disseram que continuaram a se vacinar e 22,73% não tinham indicação.

Quando perguntamos se as pessoas tomaram as vacinas recomendadas para pessoas com diabetes ao longo de suas existências, 91,71% se vacinaram contra Influenza, 79% contra Hepatite B, 81,15% contra febre amarela, entre outros exemplos de vacinas questionados.

Com relação aos locais onde as pessoas se vacinam, 81,59% vão aos postos de saúde, 2,71% na Rede Particular e 13,56% tanto na rede particular como nos postos de saúde. O CRIE (Centro De Referência Para Imunobiológicos Especiais) foi citado somente por 2 pessoas.

Um dado que chamou a atenção foi que 93% das pessoas desconhecem (CRIE), ou por relacionarem o Centro com o posto de saúde ou por não conhecerem estes locais, que têm vacinas voltadas para pessoas com diabetes como Influenza, Pneumocócicas conjugadas, Pneumocócica polissacarídica, Hepatite B, Haemophilus influenzae B. Importante ressaltar que a Pneumocócica polissacarídica só é encontradas nos CRIES.

Por último foi questionado sobre as campanhas feitas pelo Governo por meio dos veículos de comunicação se são suficientes para motivá-lo à vacinação. 53,57% dos respondentes sinalizaram que sim, 38% que não e 8,6% não sabiam.

“Estes dados refletiram o cenário antes do início da imunização contra a Covid-19. No tocante às respostas dos participantes sobre as campanhas de vacinação, queremos mostrar que é necessário maior engajamento do Governo para realização de campanhas de imunização para este público específico e, ao mesmo, tempo, facilitar o acesso das vacinas específicas para pessoas com diabetes, pois quanto mais este público imunizar, menos complicações surgirão e menos gastos serão gerados para o SUS”, finaliza Vanessa.

Esta pesquisa foi realizada por uma equipe multidisciplinar começando por Vanessa Pirolo, coordenadora de advocacy da ADJ Diabetes Brasil, Gabriela Cavicchioli, mestre em Enfermagem pela UNIFESP, coordenadora o Departamento de Enfermagem da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) e educadora em diabetes, Rebbecca Ortiz La Banca, Rebecca Ortiz La Banca, membro do Departamento de Enfermagem da SBD, pesquisadora do Joslin Diabetes Center.

O término da pesquisa é assinado por Viviana Giampaoli, doutora em Estatística pela Universidade de São Paulo e professora doutora pela mesma universidade. O levantamento foi feito entre os dias 6 de novembro e 11 de dezembro de 2020. As autoras compartilharam o convite à pesquisa junto aos representantes de associações de diabetes brasileiras e às pessoas com diabetes.

 

*Vanessa Pirolo é jornalista, coordenadora de Advocacy da ADJ Diabetes Brasil e assessora de imprensa de saúde. Tem diabetes tipo 1 desde 2000.

Compartilhe