fbpx

Coloque seu celular no modo retrato

São muitos benefícios em ser assinante! Cadastre-se, Deguste sua Edição GRÁTIS e Assine!

Tratamento Como está a saúde dos seus olhos?

***Texto escrito pela Vanessa Pirolo, e publicado na edição 30 da revista Momento Diabetes. Um dia você está trabalhando na frente do computador ou acorda pela manhã […]

Vanessa Pirolo | 26/11/2021

***Texto escrito pela Vanessa Pirolo, e publicado na edição 30 da revista Momento Diabetes.

Um dia você está trabalhando na frente do computador ou acorda pela manhã e percebe que as imagens não estão tão nítidas. Esfrega os olhos, sente que a visão não melhorou e se pergunta: o que aconteceu?

Esta dificuldade visual é retratada com frequência por boa parte das pessoas com diagnóstico de diabetes. O estudo As Condições de Saúde Ocular no Brasil, publicado em 2019 pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia, ressalta que a retinopatia diabética é responsável por 4,8% dos 37 milhões de casos de cegueira devido a doenças oculares, o que equivale a 1,8 milhão de pessoas.

No Brasil, segundo as Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes (2019-2020), a retinopatia afeta 4 milhões de pessoas, correspondendo de 35% a 40% dos indivíduos com a condição. Outro estudo, o Ophthalmic Complications in older adults with diabetes, publicado no Geriatric Diabetes: Informa Healthcare, estima que 90% das pessoas com diabetes tipo 1 (DM1) e 60% dos pacientes com DM2 terão algum grau de retinopatia após 20 anos de diagnóstico. E o que estes dados têm a ver com você? Tudo! Pois a retinopatia diabética pode atingir todas as pessoas com diabetes, dos mais jovens aos mais idosos. A boa notícia é que ela pode ser prevenida.

Mas, afinal, o que é retinopatia diabética?

“É uma complicação do diabetes que tem como gatilho o nível alto de açúcar no sangue. Se este não for controlado a médio prazo, leva à produção de uma proteína, responsável por provocar lesões definitivas nas paredes dos vasos, que nutrem a retina. Em consequência, ocorre vazamento de líquido e de sangue no interior do olho, desfocando a visão. Com o tempo, a doença se agrava e os vasos podem se romper, caracterizando a hemorragia vítrea, podendo levar ao descolamento da retina”, explica Dr. Paulo Henrique Morales, doutor em oftalmologia pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e especialista em retina e vítreo.

Leia mais da matéria na edição 30 da Momento Diabetes.

Fonte: Revista Momento Diabetes nº 30. Confira na nossa loja virtual.

Compartilhe