Pensa em algo que dá muito trabalho e gera desânimo, preguiça e até angústia. Se você pensou em mudança, então somos da mesma opinião. Mudar de casa não é nada fácil. Por mais bacana que seja morar em um lugar novo, todo processo que envolve esse deslocamento gera muito estresse.

Por Bianca Fiori

E se alguém da família ou você mesmo tem uma doença autoimune, como o diabetes, o transtorno pode ser ainda maior. Se o futuro lar é no mesmo bairro, não há necessidade de se preocupar, mas se for em outra cidade, estado ou país, aí o bicho pega. Além de empacotar tudo, cuidar dos detalhes logísticos, transferir contas, alterar cadastros etc., é preciso se planejar em relação ao tratamento médico, descobrir onde e como obter os insumos, entre outros detalhes.

Na reportagem da Momento Diabetes nº 10 (abril/maio), revelamos 12 dicas importantíssimas para você seguir e garantir que o controle glicêmico não seja prejudicado durante a mudança. O 1º passo, por exemplo, é conversar com o seu médico antes da data da mudança. Sabe por quê? Ele pode indicar um endócrino de confiança que atenda na cidade onde você irá morar, ou pode verificar a possibilidade de fazer um atendimento a distância. Caso ele não conheça ninguém para recomendar, o jeito é procurar profissionais na região. Amigos, familiares e grupos de diabetes em redes sociais podem ajudar nessa tarefa.

Quer descobrir as outras 11 dicas? Adquira a edição 10 da Momento Diabetes aqui.