Cuidar da alimentação dos filhos fora de casa é um grande desafio para pais de crianças com diabetes

Com o ano letivo em curso, a rotina de crianças e adolescentes com diabetes deve ser adaptada aos horários das aulas e atividades extracurriculares. Nem sempre, ao longo da semana, é possível se ater à todos os detalhes da alimentação ou preparar a melhor combinação de lanche saudável em casa para os pequenos levarem para escola, mas não faz mal. O que não pode é ficar sem se alimentar.

Para não descuidar do diabetes e manter a saúde em ordem, o melhor é que os pais eduquem os filhos para que estes façam escolhas conscientes na hora das refeições. A cantina da escola, por exemplo, não precisa ser uma inimiga do controle glicêmico: o que importa é deixar claro que o consumo de salgados ou alimentos industrializados não pode virar um hábito e que algumas escolhas são melhores que outras.

A nutricionista Ticiane Bovi, especialista em doenças crônicas pelo Hospital de Clínicas da Universidade de Campinas, orienta: “se seu filho gosta muito de salgado frito, libere o consumo uma vez por semana, por exemplo, e fale sobre os benefícios do salgado assado, especialmente a versão integral”.

O desenvolvimento da criança requer tais cuidados com a escolha dos alimentos, mesmo com a correria do dia-a-dia. Além disso, durante a infância e a adolescência, os aprendizados estão presentes a todos os momentos, não só na sala de aula, mas na própria compreensão do jovem sobre o que é mais indicado comer.

Para que o cotidiano na escola não resulte em privações alimentares, Bovi recomenda aos pais que explicar como cada alimento afeta a saúde, sobretudo a glicemia, é mais efetivo do que simplesmente proibir o filho de comer aquilo que ele gosta ou sente vontade no momento.

Na edição 6 da Momento Diabetes tem uma matéria completa sobre como conciliar diabetes e escola. Compre aqui.