Ticiane Gonçalez Bovi explica que é possível saborear as ceias de Natal e Ano-Novo sem descuidar do diabetes

O fim de ano é marcado por diversas confraternizações entre amigos, familiares e colegas de trabalho. Todos esses encontros costumam ser regados a muita comida e bebida e não é porque você tem diabetes que precisa ficar de fora das festas. O segredo, revela a nutricionista Ticiane Gonçalez Bovi, especialista em Nutrição em Doenças Crônicas pelo Hospital de Clínicas da Universidade de Campinas (Unicamp), é não exagerar na quantidade. “Assim o paciente evita hiperglicemias e hipoglicemias, podendo aproveitar as delícias destas refeições”, declara.

Manter a rotina alimentar é o ideal para não impactar no controle glicêmico. Mas como nesta época muitas famílias ceiam mais tarde, a nutricionista recomenda planejar bem as refeições, levando em consideração o horário da alimentação e o que será consumido.

Vale lembrar que as ceias de Natal e Ano-Novo geralmente trazem pratos diferentes, porém ninguém precisa passar vontade. Ticiane explica que é importante “se permitir o consumo de alimentos diferentes na ceia”, mas sem extrapolar. “Devemos comer para saciar a nossa fome, e não simplesmente pelo desejo. Comer devagar, aproveitando o sabor dos alimentos, e com prazer, promove saciedade e evita exageros”, orienta Ticiane.

“Além disso, é importante lembrar que, mesmo em comemorações festivas a refeição deve contemplar todos os grupos alimentares: carboidrato, proteína, fibra e gordura.  Não há necessidade de excluir nenhum alimento, salvo se a pessoa tiver alguma doença ou alergia associada”, explica.

Uma dica bacana é apostar nas frutas típicas da estação para aumentar o consumo de fibras. Este nutriente ajuda a manter o controle glicêmico, pois promove saciedade e reduz a vontade de comer. As oleaginosas, como castanhas e amêndoas, e as leguminosas, como lentilha, também são boas fontes de fibra e podem transformar preparações simples, como salada, em um prato muito mais atrativo e saboroso.

Sobremesas

Os pratos doces também enchem os olhos e a boca de qualquer um nesta época do ano, mas é fundamental não ir com muita sede ao pote. Sem antes contar os carboidratos da sobremesa.

A dica da nutricionista Ticiane Bovi é medir a porção com uma colher de sopa, já que este utensílio está sempre presente em casa ou no restaurante e varia muito pouco no tamanho. “Outra forma de estimar a quantidade de carboidrato é considerar o peso total da preparação e o total de carboidratos. Depois basta dividir a sobremesa em partes iguais (para manter uma média de peso) e contabilizar o total de carboidratos presente naquela porção a ser consumida, ou seja, a boa e velha regra de 3 da matemática”, conta Ticiane.

As caldas dos doces e sorvetes também devem ser contabilizadas. Para facilitar a contagem, use a colher de sopa.  Dê preferência também aos pratos doces feitos à base de frutas, como bolos e sorvetes, em vez de sobremesas industrializadas, e evite os xaropes, que são compostos principalmente de açúcar.

Sabendo que a quantidade de gordura e proteína pode alterar também a glicemia, fazemos um alerta para a quantidade de alimentos ricos nestes componentes. Você pode ler mais sobre eles aqui.

Com essas dicas práticas, é possível ter uma ceia saudável e deliciosa, sem perder de vista o controle glicêmico. Feliz Natal e um excelente 2018 para todos!