Hoje em dia é possível conferir o nível de cetona de maneira muito mais prática, rápida e segura. Confira:

Antigamente, para se medir o nível de cetona era necessário usar fitinhas reagentes que mudavam de cor em contato com a urina. Hoje é tudo mais simples. No Brasil existem dois glicosímetros que fazem a leitura tanto da glicemia quanto da cetona: o Optium Neo e o FreeStyle Libre. Embora ambos sejam da mesma fabricante, a Abbott, é preciso ficar atento, pois as fitas são diferentes.

A recomendação médica para se medir cetona é quando a glicemia capilar (o teste de ponta de dedo feito no glicosímetro) estiver acima de 250 mg/dL.

Nível de cetonas:

Abaixo de 0.6 mmol/L

O que fazer? leituras abaixo de 0.6 mmol/l estão num intervalo normal. Siga as indicações do seu profissional de saúde antes de fazer qualquer alteração na sua medicação.

Entre 0.6 e 1.5 mmol/L

O que fazer? leituras dentro deste intervalo, com um nível de glicose no sangue superior a 250 mg/dl, podem indicar o início de um problema. Siga as indicações do seu profissional de saúde.

Mais de 1.5 mmol/L

O que fazer? leituras acima de 1.5 mmol/l, com um nível de glicose no sangue superior a 300 mg/dl, sugerem que a pessoa pode estar em risco de desenvolver cetoacidose diabética.

Atualmente, existem dois aparelhos no mercado que além de medir a glicemia também checam a cetona: Optium Neo e FreeStyle Libre.

*Fontes: Drauzio Varela, Abbott, Doutor Rodrigo Bomeny Endocrinologia e Metabologia.

 

Este conteúdo faz parte da matéria sobre Cetoacidose da edição 7 da revista Momento Diabetes. Compre aqui a sua para ler a matéria completa.