Ter diabetes não significa deixar de comer o que gosta, mas a reeducação alimentar é uma ótima alternativa para melhorar a qualidade de vida

Cada indivíduo tem suas próprias restrições e preferências, além, é claro, de seu próprio estilo de vida. Por isso, mudar a alimentação em decorrência do diabetes pode ser algo muito complicado. Para que ninguém precise se privar de comer o que gosta, uma alternativa mais interessante do que a restrição alimentar é uma reeducação alimentar. Até o nome parece mais sincero.

Durante muito tempo, a crença era de que quem tinha diabetes precisava cortar completamente os carboidratos e doces da alimentação. Isso não faz mais parte da realidade de quem recebe o diagnóstico hoje em dia, pois cada vez mais os médicos orientam os seus pacientes a buscarem um equilíbrio na alimentação de acordo com o perfil individual de cada um. Assim, não se trata mais de mudar completamente a alimentação, mas de fazer pequenas mudanças diárias e escolhas conscientes.

Alguns fatores são muito importantes para criar uma nova rotina alimentar, que envolvem desde a idade e o tratamento que a pessoa realiza até os padrões culturais e as características socioeconômicas do indivíduo. Existe ainda a necessidade de aliar o tratamento à pratica de exercícios físicos frequentes (que ajudam a equilibrar a glicemia).

 

Este conteúdo faz parte de uma matéria sobre Alimentação Pós-Diagnóstico, na edição 6 da revista Momento Diabetes. Compre a sua aqui.