Com o apoio dos pais, diogo, de apenas 8 anos, utiliza seu Canal no Youtube e nas redes sociais para incentivar outras Crianças a tomar insulina sem medo.

 

Olá! Meu nome é Viviane Bianconi, moro em Santos, litoral paulista e sou mãe do Diogo, diagnosticado com diabetes aos 4 anos de idade. Na época, ele começou a ir muitas vezes ao banheiro para urinar, pedia garrafa de água para beber à noite e mesmo assim acordava para tomar mais. Um dia, fui no banheiro e encontrei o vaso sanitário cheio de formigas em volta. Foi aí que meu marido e eu resolvemos pesquisar na internet e descobrimos que tudo isso eram sintomas de diabetes. Tínhamos um aparelho de medir glicemia, que era da avó do meu marido, e na manhã seguinte, em jejum, fizemos o teste. No visor do glicosímetro apareceu a palavra high, que indica que a taxa de açúcar no sangue está acima de 500 mg/dl. Nesse momento percebemos a gravidade da situação e corremos para o hospital.

O Diogo só não entrou em cetoacidose porque tudo foi percebido no início. A partir daquele dia começamos nossa saga e o tratamento, utilizando caneta de insulina. Além do medo de causar dor nele, tínhamos várias dúvidas: O que ele poderia comer? Como seria na escola? Como iríamos conciliar o trabalho fora de casa e os cuidados para controlar o diabetes? Não achei outra solução a não ser parar de trabalhar para me dedicar a ele. Na escola tive sorte, pois todos abraçaram a causa e juntos aprendemos a lidar com a disfunção. Fiquei bastante tempo lá ensinando tudo com muita paciência para que as professoras se sentissem seguras para lidar com um aluno com diabetes.

Muita coisa mudou para melhor quando meu filho começou a terapia com bomba de infusão de insulina, há 3 anos. A bomba deu a ele mais liberdade e qualidade de vida, e a adaptação foi ótima. Como sou jornalista, sentia grande necessidade de trocar experiências com mães de docinhos que estivessem passando as mesmas dificuldades e dúvidas que eu. Foi aí que resolvi criar uma página no Facebook (facebook.com/didediabetes) e um canal no Youtube (bit.ly/di-de-diabetes), nos quais o próprio Diogo dá dicas e conta sobre os medos, as vontades e as lições dele com o diabetes, sempre com muito bom humor.

Para mim, meu filho é um guerreiro. Ele diz que fica muito feliz toda vez que encoraja alguma criança que tem medo de colocar bomba de insulina. Ajudar os outros por meio dos vídeos e das redes sociais faz muito bem a ele. Além de aprender mais sobre o diabetes, fizemos muitas amizades e ganhamos fôlego para enfrentarmos o dia a dia da doença e todos os altos e baixos que ela tem. Hoje sabemos que não estamos sozinhos, e a cada dia aumenta nossa confiança de que, enquanto não há cura para o diabetes, o bom controle e os hábitos saudáveis são o caminho certo para a vida do Diogo.