Caroline Naumann tem 29 anos, 15 deles convivendo com diabetes. Criou o blog Ao Trabalho para superar o diagnóstico, e descobre, a cadadia, um novo jeito de encarar as coisas. 

 

Descobrir que se tem diabetes tipo 1 é algo inesquecível. Mesmo se não lembrarmos exatamente a data, todos nós temos o marco do diagnóstico. Nesse sentido, você já ouviu falar do termo “dianiversário”? Cada vez mais, a expressão é utilizada para reconhecer o dia da descoberta, o dia em que nos disseram que temos diabetes.

Confesso que o diagnóstico de uma doença crônica não é algo digno de comemoração, mas não dá para negar que é um dia marcante, que altera nossas vidas (e da nossa família) drasticamente. Pensando assim, será que isso não merece ser reconhecido? Se você nunca vai esquecer, será que o momento deveria ser lembrado? Acho que não existe resposta certa para a pergunta, mas andei refletindo bastante sobre isso.

Gosto de celebrar cada conquista, seja ela pequena ou grande, como acertar a contagem de carboidrato ou adivinhar uma glicemia no medidor. A celebração do meu “dianiversário” trouxe muitos benefícios para mim e mudou meu comportamento no médio e longo prazo.

Comecei celebrando uma glicemia de jejum. Quando ficou fácil e virou hábito, passei a celebrar um gráfico reto de três horas. Depois de seis horas, de 12 horas e assim por diante. Até chegar na minha grande conquista: uma hemoglobina glicada dentro da normalidade, sem grandes oscilações glicêmicas.

Hoje percebi que não deveria parar por aí: quero celebrar as amizades que fiz em função do diabetes, celebrar a força da minha família, a parceria com minha equipe de apoio e as diversas oportunidades que a condição me deu: uma delas, a de compartilhar esse espaço com vocês!

Ao celebrar essas pequenas-grandes conquistas, você reforça um comportamento desejado – e a recompensa é um fator importante para solidificar hábitos.

Então, minha proposta para o próximo “dianiversário” não é comemorar o diagnóstico, mas, sim, reconhecer a batalha, os desafios e aprendizados enfrentados desde então. Gerenciar o diabetes tipo 1 com sucesso é uma realização. Vamos olhar para trás e celebrar nossas conquistas! Que esse “ano novo” venha repleto de saúde e ótimas novidades!