Em agosto de 2013, Caroline Steiger Fujihara, na época com 23 anos, não tinha muita ideia de como seria viver em terras portuguesas. Recém-casada e com um diagnóstico também recente de diabetes tipo 1, a jovem de São Paulo ainda estava assimilando as novidades. “Foram muitas mudanças de uma vez só. Eu queria aproveitar cada momento, mas não podia esquecer que tinha uma doença e precisava aprender a lidar com ela”, conta a jovem.