Os pacientes com complicações nos membros inferiores devem evitar atividades cíclicas de repetições, com possíveis traumas na pele, por exemplo: longas caminhadas, corridas e futebol. Nesse caso, devido à falta de sensibilidade, as lesões podem se agravar ou se manifestar em outros pontos. As modalidades mais recomendadas são ciclismo, natação, hidroginástica, alongamentos e até atividades com bola de menor deslocamento como o vôlei. Os exercícios devem ser praticados com calçados adequados e confortáveis. Depois de cada treino, é fundamental fazer o autoexame para verificar se houve alguma lesão e sempre informar ao médico sobre qualquer alteração.

Emerson Bisan, professor de educação física e diretor da academia Nova
Equipe Assessoria Esportiva, São Paulo (SP)