De forma geral todos sabem que a saúde mental é importante, mas, em contraste, poucos cuidam desse aspecto da mesma forma como cuidamos do nosso corpo. Isso fica ainda mais evidente quando nos vemos diante de um diagnóstico de saúde, como o diabetes.

Nesses casos, o mais comum é olharmos para fora em busca de informação e conhecimento sobre a doença. Procuramos, por exemplo, por um médico renomado, comprarmos medicamentos, descobrimos novas tecnologias para ajudar no controle, mas a saúde mental e emocional pouco é olhada ou reconhecida.

E por que a saúde mental é tão importante? Estou certa que você que está lendo esse texto já ficou doente de uma forma ou de outra, seja uma gripe ou algo mais grave. Logo, você sabe que quando ficamos doentes não é uma parte do nosso corpo que adoeceu, somos nós como um todo. Certamente essa doença teve um impacto em sua vida social, emocional, profissional e afetiva, não é verdade?

Digamos que você tenha tido um problema no joelho e precisou ficar em repouso em casa, sem poder ir para o trabalho por algum tempo. Você acabou se afastando dos colegas, ficou preocupado em ser substituído por outra pessoa e pode ter sentido muita dor. Tudo isso pode ter afetado você emocionalmente e não descarto a possibilidade de ter sentido ansiedade ou depressão.

Afetivamente você pode ter ficado mais indisponível, e talvez isso tenha afetado sua vida amorosa. Enfim, com esse exemplo, podemos observar que um problema inicialmente centralizado em uma parte do seu corpo (o joelho) acabou por afetar e interferir na sua vida como um todo.

É assim quando somos diagnosticados e precisamos conviver com uma condição crônica como o diabetes, que, diferentemente de uma gripe ou de um problema no joelho, não vai embora, pois ela está conosco 24 horas por dia e 7 dias por semana. Desta forma, é necessário nos educarmos e nos prepararmos para lidar com todos os aspectos que são inerentes a essa condição. Ou seja, além dos aspectos físicos e clínicos, precisamos olhar e cuidar também dos aspectos emocionais e sociais que tanto interferem no nosso dia a dia, na relação com o diabetes e certamente nos resultados glicêmicos. Isso não apenas da perspectiva de quem tem, mas de toda a família.

No diabetes muitas variáveis estão em jogo. Cada dia é de um jeito e não existe uma fórmula ou manual de instruções que serve para todo mundo, que por si só pode ser um processo emocionalmente exaustivo. Por isso, o apoio é tão necessário para sentirmos mais confiantes, positivos e com a percepção interna de que somos capazes e temos o que é preciso para lidar com os altos e baixos da condição, e assim lidarmos com essas oscilações e frustrações de forma mais resiliente e positiva, com menos estresse e desgaste e mais rapidamente vamos voltarmos ao nosso equilíbrio.

Quando estamos com as emoções e a mente saudáveis, tomamos melhores decisões e a vida flui de forma mais leve. Mas para isso você não pode se fechar à ajuda, à inspiração e ao apoio de outras pessoas. Sabemos que o diabetes já toma muito do seu tempo e da sua energia, e você deve estar pensando o que o levaria a colocar ainda mais tempo nisso não é mesmo?

O tempo extra que você está dispensando para o diabetes pode ser porque, emocionalmente, as coisas não estão bem, tirando seu sossego e seu foco. Será que esse tempo que você coloca no diabetes está de fato sendo efetivo? Ou será que, com o apoio de outras pessoas você possa se sentir melhor, acalmar o coração e se reequilibrar para cuidar da saúde com mais consciência e foco?

Todos já passamos por uma situação na vida em que tentamos fazer algo a partir de uma ansiedade ou angústia e parece que aquilo começa a virar uma bola de neve e toma uma proporção ainda maior em nossas vidas. Talvez esse seja o momento de fazer uma pausa, apertar o botão de “reiniciar”, respirar fundo e acolher a si mesmo.

Tenha consciência do quanto você e sua saúde são importantes e aprenda a se abrir para novas soluções e oportunidades que possam levá-lo para uma vida saudável e plenamente feliz com diabetes.

“Se você quiser ir mais rápido, vá sozinho. Se quiser ir mais longe, vá acompanhado.”

Se você acha que é momento de fazer essa pausa para se inspirar e se motivar a cuidar da pessoa que você ama (você mesmo, claro!), participe da palestra “Adolescência e Diabetes – e agora?” falando sobre esses desafios tão comuns na vida das pessoas que enfrentam a condição.
Data: domingo, 02 de julho de 2017
Horário: das 10h às 12h
Palestrante: Fabiana Couto, Coach e Influenciadora de saúde e bem-estar. Palestrante motivacional, promove programas de coaching e é cofundadora de um canal de educação em diabetes no Youtube chamado Cozy – Diabetes + Leve e possui a página Fabiana Couto – Desenvolvimento Humano, onde divide dicas e conteúdos sobre qualidade de vida.
Sobre ela: Fabi Couto foi diagnosticada com diabetes ainda na adolescência, há mais de 20 anos e irá dividir dicas e estratégias que aplicou e aplica não só em sua vida pessoal, como também nos trabalhos que realizou em programas de apoio e educação ao jovem com diabetes no Brasil e no exterior.

Mais informações do evento e da palestrante no link: https://www.eventbrite.com.br/e/adolescencia-e-diabetes-e-agora-tickets-35446424209